TRANSFORMAMOS NOSSOS ENCONTROS, SERÃO TODOS DIGITAIS -2020.

Vamos aproximar o setor e ampliar o debate dos principais temas da pauta setorial, de negócios, transformações digitais, serviços, segurança e regulação promovendo mensalmente, até novembro de 2020, uma série de LIVES.

LIVES TELE.SÍNTESE DE 2020

Vamos debater com o setor, o governo e a Anatel a regulamentação da Lei 13.879/12 no que se refere à renovação automática das outorgas do espectro radioelétrico e seus impactos na segurança jurídica.

O objetivo aqui é fazer uma radiografia das ofertas digitais de atendimento e de serviços das operadoras de telecomunicações e de como forma foram assimiladas pelos consumidores durante o período de crise sanitária. A aceleração da implementação desses serviços trouxe quais ganhos para o consumidor e para a sociedade?

A intenção aqui é avaliar se o câmbio sobrevalorizado começa a afetar as projeções de expansão das redes de telecomunicações, e quais são as alternativas existentes. Vamos abordar também os esforços e os planos de diferentes fabricantes e revendedores para criar planos de financiamentos atrativos para os operadores de telecomunicações de todos os tamanhos.

Aqui, o foco serão os riscos cibernéticos gerados por ataques aos sites, redes sociais e uso de equipamentos de pirataria para o acesso clandestino aos canais de TV. Como os pequenos operadores e o público em geral podem se prevenir?

A aceleração da digitalização das corporações públicas e privadas gerada pela atual crise sanitária provocou também aumento nos riscos cibernéticos. Vamos tratar sobre esses riscos e as soluções sugeridas pelas empresas de serviços e de TICs.

O prazo para que as concessionárias de telefonia fixa decidam se migrarão para o regime privado de serviço é de seis meses. Há questões importantes que precisam de interlocução entre os agentes privados e o Estado. Essa live pretende tratar dessas questões com diferentes stakeholders.

As grandes operadoras de telecomunicações estão construindo códigos de conduta que implica uma série de compromissos no atendimento ao consumidor. Ao mesmo tempo está prevista a publicação de um novo regulamento geral de direitos dos consumidores de telecom. A webconferência irá tratar da autorregulação, da visão da anatel sobre o tema e da posição dos institutos de defesa do consumidor.

O isolamento social aumentou o consumo de dados e mudou o tráfego e as redes de telecomunicações brasileiras mantiveram-se estáveis. Qual a avaliação das operadoras sobre essas mudanças? Elas serão mantidas? O que pode mudar na oferta de serviços? E na estabilidade das redes?

Serão debatidas as novas medidas do Banco Central para a abertura do mercado bancário nacional e as iniciativas das operadoras e fintechs nesse mercado.

Vencido o prazo do diferimento do Fistel, importantes questões para a universalização da internet em banda larga precisam ser retomadas, principalmente para reduzir as desigualdades digitais da sociedade brasileira. O uso dos fundos setoriais para financiar o acesso de famílias de baixa renda é mais do que urgente.

A venda de ativos da Oi traz um novo cenário competitivo no mercado brasileiro. Há também um intenso movimento de consolidação e novos modelos de arranjos corporativos ocorrendo entre os operadores regionais de telecomunicações. Essas mudanças estarão em debate nessa Live.

O debate aqui será sobre as frequências de 5G e avaliação sobre os principais players e novos entrantes na prestação de serviços de telecom.

O Objetivo dessa Webconferência é reunir executivos de diferentes segmentos econômicos além das telecomunicações, para fazer um balanço sobre as medidas adotadas durante a pandemia – home office, capacitação on line, contratação digital, etc.

Vencido o prazo do diferimento do Fistel, importantes questões para a universalização da internet em banda larga precisam ser retomadas, principalmente para reduzir as desigualdades digitais da sociedade brasileira. O uso dos fundos setoriais para financiar o acesso de famílias de baixa renda é mais do que urgente.

É chegado novembro, o mês de estreia do PIX, sistema de pagamentos instantâneos brasileiro. Na esteira, uma prometida revolução na forma como lidamos com pagamentos e a promessa de digitalização das mais simples às mais complexas operações. As oportunidades são imensas, e os desafios, também.


Projeções sobre tendências, negócios e políticas públicas para 2021

A Internet das Coisas, para deslanchar no Brasil, precisa de quais estímulos?

É chegado o momento de definição sobre esse tema? Questões como o preço mínimo, o ressarcimento e as obrigações serão tratadas aqui.

COMERCIAL
comercial@momentoeditorial.com.br
(11) 3124-7444